quinta-feira, 3 de maio de 2012

Uma aventura no posto médico

Ontem fui ao meu posto médico, aka USF da Torre. Pedi uma consulta de apoio, pois estava com a garganta bastante atacada e as amígdalas inflamadas. 

De manhãzinha, lá fui, então, meti o cartão do cidadão na ranhura, retirei a senha, sentei-me, passou meia-hora (nada mal), fui atendida após a senha ter aparecido no ecrã catita e a voz sexy masculina ter pedido que o utente com a senha XXX (já não me lembro o número) por favor para se dirigir ao balcão de atendimento. Consegui uma consulta pelas 12:30 e paguei 5 euros.

Regressei a casa, que o tempo ontem de manhã esteve medonho e enfiei-me no sofá, entre cobertor e gatos e tosse e dor de cabeça e chá de limão com mel.

Pelas 12:10, lá voltei a sair, parka, guarda-chuva, vento e carga de água, subi a rua, entrei no posto médico, meti o código de barras que estava na folha da consulta em frente aos infra-vermelhos, retirei a senha, sentei-me (esperei 40 minutos, piorou aqui). Surgiu a minha senha e o meu nome escarrapachado no belo do ecrã (e eu a pensar "agora toda a gente sabe como eu me chamo, isso da auxiliar chamar é o menos, chama e depois passa, agora o nome ali, ad aeternum é que não").

Lá fui atendida, abre a boca, mostra a língua, sobe a camisola, ausculta, não ausculta, não se ouve nada fora do normal, a garganta está irritada, mas não é grave, toma lá um betadine (!) para gargarejar, mais uns ben-u-rons 1 gr., e eu a pensar que gosto muito dos ben-u-rons, mas como é que irei engoli-los?

Farmácia ao fundo da rua (a minha rua é um mimo, tem tudo), aviei a receita, volto para casa e armo-me em enfermeira Jackie (num delicioso episódio em que disfarça nos pacotes de adoçante os comprimidos esmagados) e esmigalho um foguetão no almofariz  e bebo um nico de água e atiro-me para o sofá à espera do efeito.

Repeti a brincadeira ao fim da tarde mas hoje já consegui engolir um comprimido.

8 comentários:

  1. O restabelecimento total rápido.
    Berraste de mais no 1º. de Maio...

    ResponderEliminar
  2. não berrei, já no 1.º de maio estava aflita (tinha ido na véspera, ao fim do dia, informar-me da consulta de apoio - sem marcação). sentei-me na relva umas 2 horas e estava gelada quando me levantei... no meio do discurso do a. carlos (não gosto de discursos).

    ResponderEliminar
  3. E com este episódio descobriste que mais valia teres ficado em casa a tomar chã com mel ao invés de ires ao médico [poupavas o dinheiro da consulta e dos medicamentos]. Também detesto o ben-u-ron, porquê que ele tem de ser tão desagradável? ;)

    Beijinhos e as rápidas melhoras =)

    ResponderEliminar
  4. H., frequentemente tenho dores em várias partes do corpo. gosto do ben-u-ron, é rápido, forte, mas com a garganta tipo arame farpado custa um bocadinho).
    mas tenho uma vertente homeopata, gosto de tudo o que seja natural e muitos chás de erva.
    obrigada. bjs.

    ResponderEliminar
  5. Eu sou óptimo para tomar comprimidos. Não me custa nada! No outro dia, a falar com colegas, várias diziam que não conseguem tomar comprimidos porque lhes faz confusão ao engolir, etc. Eu, não! :) Posso tomar o maior comprimido que não me faz qualquer impressão. (:

    As melhoras, Margarida! Beijinho grande! *

    ResponderEliminar
  6. obrigada, Mark. a mim tb não me faz grande confusão, excepto quando a garganta está irritada. bjs.

    ResponderEliminar
  7. obrigada, Speedy, já estou boa (tanto que me tinha esquecido e fui correr de manga curta, mas estava vento. não me afectou, felizmente).

    ResponderEliminar