sexta-feira, 20 de julho de 2012

Coincidências III

Isto só a mim... Fui à biblioteca deixar os livros que tinha trazido há duas semanas, 3 do Guilherme de Melo e um do David  Leavitt e trouxe 2, novamente 1 do GM e outro do DL. Estou de férias, passo por lá amiúde e irei comprar o último do Zafón, por isso não me estiquei nos empréstimos.

Comecei a ler "O Homem que odiava a chuva e outras estórias perversas" e de repente, aí na página 11, dou de caras com um incêndio provocado pelo cigarro do Cláudio.

E é a mais pura das coincidências, nunca tinha lido este livro e nem de propósito, Portugal está a arder por todo o lado, e no regresso a casa, pelas 6, o meu comboio esteve meia hora parado entre Sete Rios e Campolide, além de ter saído atrasadíssimo do Areeiro, devido a um pequeno incêndio na berma da auto-estrada, perto dos Foros da Amora (isto para quem conhece o trajecto).

A auto-estrada estava um caos em direcção em Lisboa, o incêndio não era muito, mas o fumo tapava tudo, estavam lá os bombeiros e as Forças de Segurança a regular o trânsito. Eu pensei logo  num idiota de um cidadão que atirou a ponta de um cigarro da janela do carro e pegou logo, está tudo seco e é pura sorte existirem bombeiros na Amora e a auto-estrada ser um corta-fogo que impedia o fogo de ir para o outro lado.

Ele há dias... 

7 comentários:

  1. Em 2004, tivemos um incêndio bem perto da nossa porta.
    Fico muito impressionada com essas notícias.
    Como um ato imbecil/doentio pôe a perder, em pouquíssimo tempo, o que se leva uma vida a construir.

    ResponderEliminar
  2. É das coisas mais assustadoras e de que mais medo tenho.
    Há anos atrás a Covilhã, onde eu morava então, esteve seriamente ameaçada e eu vi na estrada Covilhã/Penhas da Saúde o avançar do fogo e é aterrador, a sua velocidade e facilidade de comunicação.
    Fico mudo perante as expressões de quem perdeu tudo, na televisão. É terrível...

    ResponderEliminar
  3. O que não se consegue entender é o prazer que certas pessoas tem ao ver o fogo destruir um bem que é de todos [a Natureza] e por vezes aquilo que é de outras pessoas [casas, carros, animais]...

    Oxalá que as coisas se acalmem...

    Beijinhos :3

    ResponderEliminar
  4. a grande maioria dos incêndios florestais é devido a negligência, queimadas para renovação das pastagens, queima de sobrantes, e devido à grande falta de cultura cívica dos portugueses, que atiram o cigarro pela janela, deixam lixo na floresta, não limpam, etc. claro que tb há os pirómanos que adoram ver o fogo, na sua grande maioria alcoólicos, poucos estudos, e depois até se oferecem para ajudar os bombeiros.
    tenho muito medo, tb, do fogo, seja em incêndio florestal, seja urbano.
    em pequena, por esta altura era um virote para apagar os incêndios no mato, e à noite, ao longe, assistíamos ao inferno.
    bjs.

    ResponderEliminar
  5. Acredito que muitos fogos, surgiram pela beata de alguma mente iluminada. Que em vez de apagar a beata, atira-a pela janela :)

    Beijinho Grande

    Coitado é de quem perde tudo

    ResponderEliminar
  6. É um misto de negligência e de criminalidade inaceitáveis! Lembro-me de em 2005, numa viagem que fiz até Espanha, ver várias florestas portuguesas transformadas num manto de negritude espessa e densa. Um horror!
    Este ano está a ser demais também...

    beijinhos :*

    ResponderEliminar
  7. um inferno, Mark, um inferno :(
    bjs.

    ResponderEliminar