terça-feira, 9 de outubro de 2012

Cemitério dos Prazeres

O Cemitério dos Prazeres foi construído por ocasião da epidemia de cólera morbus que assolou a cidade de Lisboa em 1833, servindo os moradores da parte ocidental da cidade. Era neste lado da cidade que se localizavam a maioria das residências ilustres e por este motivo estão sepultadas neste cemitério muitas das principais personagens da nossa história contemporâneas.

Este cemitério é um museu a céu aberto, possuindo elementos importantes para o conhecimento da história contemporânea de Portugal, a atitude perante a morte, a arquitectura, a escultura ou a heráldica (site da CM de Lisboa).


Há umas semanas fui visitá-lo. A visita guiada contou com a explicação de técnicos da Junta de Freguesia dos Prazeres.

De entre as imensas fotos que tirei, destaquei as imagens da dor, belíssimos exemplares de estatuária fúnebre.


 







 







17 comentários:

  1. só fui uma vez ao cemitério dos Prazeres, felizmente só mesmo de visita. é de facto muito interessante.
    não sou nada mórbido, e muito menos necrófilo, mas já visitei alguns cemitérios só mesmo pelo prazer de os conhecer, e alguns deles bem interessantes.
    e também, é claro, para fazer romaria aos santos, como o Jim Morrison e o Oscar Wilde, no Pere Lachaise, em Paris.

    ResponderEliminar
  2. faz parte da viagem a Paris, a visita ao père lachaise :)
    eu tb gosto de os visitar. em lx, ainda me falta o s. joão.

    ResponderEliminar
  3. Fiz esta visita há pouco tempo com uma amiga e gostamos bastante. Ficámos com vontade de conhecer o Mausoléu da Família Holstein, mas só por marcação e tem que ser ao fds, mas continua na nossa agenda.

    Sempre visitei cemitérios, mesmo em viagem, lembram-me sempre do quão perenes somos e faz-me manter os pés bem assentes na terra.

    Excelentes fotos.

    Bjs.

    ResponderEliminar
  4. a junta de freguesia dos prazeres costuma fazer visitas guiadas. ficaram com o meu contacto e qd se proporcionarem mais visitas, estarei lá, se puder.
    perenes?
    mais efémeros...
    bjs.

    ResponderEliminar
  5. Também gosto de visitar cemitérios, apesar de achar um pouco mórbido...

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. O cemitério de que mais gostei, assombroso, foi o de Génova (Itália), logo seguido pelo de Milão.
    E claro que já fui de romaria ao Pére Lachaise.
    Nunca entrei no cemitério dos Prazeres.

    ResponderEliminar
  7. Claro que estupidez, desculpa...
    Bjs.

    ResponderEliminar
  8. Não sabia da existência deste cemitério. Por isso, quando li o título do teu post pensei que fosses falar de algum tipo de casa dos prazeres sadomasoquista. A minha mente anda muito porca...

    ResponderEliminar
  9. João, mais uns locais a visitar, porque não conheço. Itália, pela sua história, deve ter cemitérios lindos.
    eu não acho mórbido visitar este tipo de sítios, ainda mais quando são históricos.
    bjs.

    ResponderEliminar
  10. abacalhoado, rag!
    não sendo muito a minha onda, por ti posso transformar-me numa dominatrix. chicote e palmatórias em punho! :D

    ResponderEliminar
  11. Francisco, os pequenos, também acho isso, e andar a ver as campas com as fotografias é tétrico, mas os que têm uma carga histórica elevada, merecem ser visitados, até várias vezes.
    bjs.

    ResponderEliminar
  12. Os cemitérios lisboetas, sobretudo os do século XIX, têm vários exemplos de arte mortuária. Eu devo dizer que me sinto melhor nos Prazeres ou no Alto de São João, por exemplo, do que no Cemitério de Carnide (cemitério-jardim), que mete medo. Não tem monumentos fúnebres, à excepção de meras lápides, e isso torna-o assustador. Além disso, tem uma história macabra atrás. Foi concebido nos finais dos anos 90 do século passado e, quando procederam às primeiras exumações, deu-se uma descoberta macabra: os estudos falharam e a terra era péssima para a decomposição dos corpos. Resultado: ficou tudo anos e anos embargado. Só há pouco tempo começaram as exumações dos primeiros sepultados! Sei disto porque, infelizmente, tenho lá um familiar muito próximo.


    bjo :*

    ResponderEliminar
  13. felizmente, nunca entrei no de Carnide. no dos Olivais e o de Benfica sim.
    há muito anos fiquei impressionada quando entrei num pequeno cemitério duma aldeia alentejana e lá estava escrito "nós que cá estamos por vós vos esperamos". na minha aldeia não há nada disso. entretanto, já vi esta frase em vários cemitérios. é uma maneira diferente de encarar a morte.
    bjs.

    ResponderEliminar
  14. Claro, tens razão mas o que o Mark diz é que nesse cemitério (já la estive) é tudo anonimo, parece que estás num cemitério da 2ª guerra mundial. Claro que morremos todos mas a maneira como enterramos os nossos mortos revela muito sobre a sociedade em que vivemos.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  15. Por acaso, estava a ler outros postes acerca dos cemitérios paulistanos noutro sítio virtual (http://www.saopauloantiga.com.br/12-tumulos-curiosos-consolacao/). Gosto de cemitérios, eles nos lembram da trivialidade da vida. Por nos lembrarem das trivialidades de viver, também nos fazem lembrar da beleza rosa desse verbo. Nunca fiz romaria aos humanos para os quais possuo admiração, mas como minha lista é grande.

    ResponderEliminar
  16. são locais que devem ser visitados, sem dúvida. como a notícia refere, são museus a céu aberto.

    ResponderEliminar