quinta-feira, 29 de novembro de 2012

After dark

'Aproxima-se a meia-noite, o ponto alto da sua actividade já passou, mas o metabolismo vital que assegura a vida continua a trabalhar incessantemente, produzindo o basso contínuo que reproduz os murmúrios da cidade, um som monótono, sem altos nem baixos, se bem que prenhe de pressentimentos.'

Haruki Murakami, After Dark, Os Passageiros da Noite, p. 7, casa das letras, 2008.

[grandioso é o parágrafo que abre este romance (estou a relê-lo)]

2 comentários: