quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Poema de Natal

…triste como um rio, sereno como as pontes…

Ruy Belo



Silêncio sobre o silêncio. De asa partida
desce as escadas de casa a luz da manhã
e nada se eleva sobre tão misteriosa passagem.
Acumula-se o pó entre um verso que morre
e um poema construído de escombros
e de repente apercebes-te que o musgo dos
telhados é tão só um efeito secundário, quando muito
uma condição necessária, para que um deus
sobreviva aos dias que passam, serenos como os rios,
tristes como as pontes

Afinal onde está esse deus que nasceu?



Dezembro de 2012


[Sandra Costa]

(a Sandra ofereceu-me este belo poema. Tinha pedido ideias, sugestões, em forma de palavra, quadro, frase, poema, para o 'Calendário do Advento', composto por 25 poemas, e eu achei tão bonita essa dádiva que lhe enviei o Ruy Belo.)

15 comentários:

  1. O poema é bonito.

    O nascimento de Jesus simboliza a alegria e a esperança que sempre acompanham o nascimento de uma criança.

    E Deus está dentro de cada ser humano, sem importar sequer o nome porque é invocado.

    Bom Natal, sereno solstício de Inverno e feliz 2013.

    ResponderEliminar
  2. obrigada, São. faço minhas as suas palavras, se não se importar. :)

    ResponderEliminar
  3. Muito bom

    Tem um excelente dia de "Fim do Mundo" e boas férias :)

    Beijinhos Grandes

    ResponderEliminar
  4. Do Ruy Belo. Nada mais há a dizer. Muito expressivo.


    bjo :3

    ResponderEliminar
  5. há qualquer coisa na escrita da Sandra, uma imaterialidade, não me consigo expressar, é lermos e sentirmos formigueiro. é extraordinária.
    bjs.

    ResponderEliminar
  6. Muito bonito.
    E é tão bom receber esses presentes, não é?
    bjs

    ResponderEliminar
  7. já tínhamos 'conversado' sobre como este poema é lindíssimo.

    ResponderEliminar
  8. gostei mt, Sandra. nao me expressei nada bem no fb pq nao o uso mt. mas gostei :-) .
    bjs.,

    ResponderEliminar