sexta-feira, 29 de março de 2013

André Kertész - o prazer da leitura

Rapaz come um gelado enquanto lê a banda-desenhada numa pilha de jornais, Nova Iorque, 1944


A leitura, Esztergom, Hungria, 1915


   
Casal a ler junto à Fonte de Médicis, Paris, 1928
  

 Homem a ler num antiquário, Nova Iorque, 1969


Menina vestida de fada a ler, Nova Iorque, 1938
 
O prazer da leitura, a solidão das pessoas imersas num romance, numa carta, num jornal, imagens belas, poéticas, românticas, de leitores nas ruas, nos cafés, em lojas, em jardins, em esplanadas ou em varandas, estranhos que num momento pessoal foram, para a eternidade, captados pela fabulosa lente de André Kertész (1894-1985). Imagens que nos fazem imaginar, sonhar, que nos transportam para lugares distantes.

'Pessoas a lerem, muitas, uma visão muito particular da leitura, misteriosa, compulsória, e se por um lado temos a fotografia como arte que se compromete com o exterior, por outro lado a leitura, pelo menos a leitura solitária, silenciosa, é pura interioridade. O que é comum a todas as fotos, invisível mas palpável, à medida que as páginas são folheadas, é a 'ausência'. Quando vemos uma foto de uma pessoa a ler apenas sabemos que ele ou ela está 'ausente', mas não sabemos 'onde' poderá estar (S. Petersburgo, Kansas, labirinto de Creta, a imaginação não tem limites).'
[adaptado do artigo que está no primeiro link, sobre o livro com o mesmo nome ('On Reading'), publicado pela primeira vez em 1971 e à venda na Wook.]



'Mestres da Fotografia', BBC, 1983


Para terminar, deixo o desafio:
Alguém sabe identificar o quadro que aparece nesta fotografia que pertence a esta série 'On Reading'?

 Taça com frutos e quadro, Nova Iorque, 1951

(mais: aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui)

20 comentários:

  1. Excelente colectânea, Margarida!
    Beijinho e uma Páscoa Feliz

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. apenas uma breve pesquisa na internet. :)
      boa páscoa.
      bjs.

      Eliminar
  2. Não faço ideia de qual será a resposta, mas gostei deste texto e agora vou seguir o link...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nem eu, mas colocaram-me esta questão e resolvi fazer este post para celebrar a leitura e um grande fotógrafo.

      Eliminar
  3. Adorei conhecer.
    Recentemente retomei a leitura como habitual companhia.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. que bom. leio sempre que posso (e é o que farei já de seguida, com este feriado molhado).

      Eliminar
  4. Boa dica, mas não faço a mínima ideia

    Bom Feriado e fim de semana

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. esta noite sonhei que tinha encontrado o nome do quadro num catálogo de um museu :)
      estava naquela fase entre a vigília e o sono, dizem que é a fase mais activa dos sonhos, acordar, não acordar, li o nome, não me vou esquecer, não. pumba, acordei e esqueci :D
      os sonhos são tramados.
      bjs.

      Eliminar
  5. Muito boa selecção. É um prazer, sem dúvida.
    (bem que andei às voltas no google, mas não descobri nada... :/)
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. New York (fruit bowl and painting)

    1951

    Kertesz é um dos meus fotógrafos preferidos e faz parte da minha clecção de fotos do Pinterest
    http://pinterest.com/joaoroque/famous-photographers-i/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eheheh, é o nome da fotografia, não do quadro que foi apanhado :) eu sei os nomes em inglês e traduzi-os, achei que não fazia sentido num post em português os títulos em inglês. os originais estão nos vários links que escrevi.
      fui ver o teu pinterest, obrigada.
      bjs.

      Eliminar
  7. As fotos dão realmente que pensar. Uma que particularmente me tocou foi a dos meninos húngaros, em 1915, descalços. A pobreza daqueles tempos e que se manteve por várias décadas, incluindo na Europa ocidental.

    beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. também fiquei impressionada com essa, mas ainda mais fiquei com eles concentrados a verem/lerem, pobreza da vida, mas não do espírito.
      bjs.

      Eliminar
  8. Ah, só agora percebi...
    Mas é impossível saber pois é uma visão muito parcial.
    Esqueci-me de referir que gostei muito da selecção que fizeste, embora não seja a primeira vez que o faças - usaste o mesmo método (a leitura) no Edward Hopper.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o hopper veio à lembrança logo que fiz este post, sim :), é impossível não o fazer, já que a leitura é uma paixão.

      Eliminar
  9. gostei muito da ideia que está nesta frase: "Quando vemos uma foto de uma pessoa a ler apenas sabemos que ele ou ela está 'ausente', mas não sabemos 'onde' poderá estar (S. Petersburgo, Kansas, labirinto de Creta, a imaginação não tem limites)", achei-a muito sedutora e fascinante.

    agora um aparte, aproveitando o comentário: então não houve contos de domingo? vinha eu de dente afiado para ler continhos novos ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu também.
      ia lançada a ler e traduzir esse artigo quando ele começou a falar de ebooks e mais não sei o quê e desisti :D
      pois, a inspiração tarda. e agora pus-me a ouvir coisinhas boas e pronto, nada de nada.
      e essas férias?

      Eliminar
  10. Lindo post Margarida. :) Quanto ao quadro, nada feito... Talvez encomende o livro ainda que duvide que "me" responda... Beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. talvez, boa sorte :)
      em alternativa, um pulinho a Nova Iorque e um giro pelas galerias todas ;)
      bjs.

      Eliminar