terça-feira, 23 de abril de 2013

Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor

14 comentários:

  1. Já li alguns e-books, e não há comparação com a intimidade, relaxamento e experiência sensorial de um verdadeiro livro. E quando o recurso económico para a compra de um é reduzido ou insuficiente, existem bibliotecas públicas e plataformas de troca e re-venda que só acrescentam valor ao objeto de maior partilha inventado pelos humanos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. concordo contigo, embora tenha um tablet e esteja a ler um ebook de momento, sendo que é muito mais prático (por acaso tiveste na mão o 2666 do bolaño? um tijolo!).
      e sou frequentadora da minha biblioteca e gosto de ter livros, e sim, são caros, mesmo os ebooks.
      eu crio uma forte afinidade com os meus livros, empresto, mas gosto de saber onde é que eles estão, por outro lado, não os trato como porcelanas, sublinho, marco, assino e dato-os mal os compro. uso e abuso.

      Eliminar
  2. Gosto dos livros em todos os formatos, ebook pelo lado prático e audiobook porque é uma experiência completamente diferente. Não passo sem livros, seja em que formato for.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. audiobook nunca experimentei, eu leio uma frase várias vezes e volto atrás outras tantas; acho o AB mais complicado.

      Eliminar
    2. O mais difícil para mim foi educar o cérebro a continuar a ouvir para além de quinze minutos, porque de repente desligava e pensava "Huh?" e voltava atrás. Mas depois do primeiro tem sido um companheiro fiel, viagens de carro, avião, you name it, ouço quando estou a fazer limpezas e a cozinhar o que me faz aproveitar mais o tempo para a leitura (ou audição, dependendo do prisma) e como sempre gostei de ouvir histórias é algo que me agrada imenso. Especialmente se for ficção com narrador em primeira pessoa.

      Geralmente quando as pessoas nunca experimentaram a pergunta é "Gostas que te contem histórias?", se sim é meio caminho andado.

      PS - Tenho sido um lurker, vim cá ter via o blog do João Roque, gosto muito dos teus textos e da sensibilidade que transmitem.

      Eliminar
    3. :) obrigada pelas simpáticas palavras. audiobook vou experimentar, mas com poemas, talvez quando correr/caminhar à beira-rio.
      o João Roque é um fio condutor desta blogosfera :)

      Eliminar
  3. Eu aproveitei a ocasião para comprar O"s Cadernos de Pickwick" do Dickens. Terei é de esperar pelas férias do Verão para o ler calmamente. Até lá terei de ficar com os calhamaços da faculdade.
    Boas leituras ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não comprei nada. estou a ler a questão finkler em ebook (oferta da wook), tenho outros em fila de espera (um outro ebook de oferta, do Mário de Carvalho), poisei 'o lustre' da Clarice, porque era depressivo de mais e tenho mais uns quantos emprestados pelo João Roque.
      para além disso, tenho 2 volumes das crónicas de gelo e fogo para ler.
      estou bem servida nos tempos próximos :)
      obrigada, tenta ler nos intervalos dos calhamaços, desanuvia :)

      Eliminar
  4. Embora as finanças andem mal, investi.
    Não consegui resistir à campanha da Wook e gastei cerca de 60 euros, em seis livros da minha lista de compras.
    Mas vou ter à minha disposição esse mesmo dinheiro para comprar outros livros lá, sem gastar mais e então depois irei comprar três livros um pouco mais caros, e que assim me saem de borla.
    Comprar livros e viajar para estar com quem amo são os únicos gastos que tenho, fora do dia a dia. Não gasto nada em roupas, coisas para a casa, ou gastos supérfluos.
    Ao menos nessas duas coisas, tenho um prazer real.
    Quanto aos livros, tenho que os ler, tendo-os fisicamente; gosto das páginas a passar e do cheiiro dos livros.
    Ao contrário de ti, cuido muito bem dos meis livros, não os sublinho, não escrevo neles nem sequer dobro páginas. Um livro meu, depois de lido está como novo; mas não condeno quem o não faça, pois um livro é uma coisa nossa e podemos ter com ele a relação que muito bem entendemos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a editora Presença também ofereceu livros dessa forma há uns tempos, julgo que no seu aniversário. há uns anos deu-me uma coisa e comprei os livros que não tinha da Patricia Cornwell que essa editora vende, e adorei cada livro. gastei um balúrdio.
      eu trato os livros normalmente, os que gosto e releio têm a lombada muito vincada, principalmente os calhamaços (um desses que já li umas dez vezes desde que o comprei foi o 'Jonathan Strange e o Sr. Norrell', fiquei viciada quando saiu, mas mesmo viciada. qualquer dia leio-o novamente.
      bjs.

      Eliminar
    2. Desculpa a intromissão, mas recomendas o 'Jonathan Strange e o Sr. Norrell'? Ando com esse livro em lista de espera há anos.

      Eliminar
    3. recomendo! alia magia, fantástico, gótico, uma escrita completamente absorvente, não consegui descansar enquanto não o li (e reli).

      Eliminar