sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Cultura, cabelo branco e cinema

Fui comprar o bilhete para o espectáculo do Diogo Infante, para Domingo. Como é o último dia de exibição, e não se fazem reservas por telefone, nem na Ticketline, tive de me deslocar ao S. Jorge. Como também não há lugares marcados, terei que chegar às 16,30, que a peça começa pelas 17h. Aproveitei que estava no cinema e fui ao wc (que isto de beber mais de um litro de água por dia origina frequentes passeatas ao quarto-de-banho). Depois, olhei-me ao espelho (digam lá se não fazem o mesmo :D) e vi um cabelo branco no alto da cabeça. Um cabelo branco! Sei que os tenho, mas em lugares pouco visíveis, e sou do género, longe da vista, longe do coração. Pois é, os quarenta aproximam-se a galope e tudo fazem para que eu não me esqueça.

De seguida, fui ao cinema, não era dia do espectador no El Corte Inglés, mas tinha uns pontos no cartão e usei-os na compra de um bilhete de quarta-feira, a 4,70 €.

A seguir, lá me convenceram a não perder a exposição da Joana Vasconcelos, 'O quê? Tens de ir. Ela esteve em Versalhes e é a maior exposição dela e o Palácio é tão belo, é um contraste muito interessante' e tal e eu 'ela não é a minha praia', e a ver a minha vida a andar para trás, a desenculturar-me e pronto, dei a mão à palmatória, os 10 € pagam a exposição e uma parte da visita ao Palácio Nacional da Ajuda (o bilhete normal é 5 €), embora nem todas as salas estejam abertas ao público. Mas nem pensam que vou ficar duas horas e meia na fila lá para comprar o bilhete. Já basta o que se tem de esperar para entrar, é melhor levar farnel para a ocasião e um livro... Felizmente, os bilhetes estão à venda na Ticketline e tenho uma Worten ao pé de casa e lá fui comprar um.

Por outro lado, temos o 'Lisboa na rua', e gostaria de assistir a alguns eventos, mas isto de acordar cedo, nem com um balde de café lá vai. Pelas 11, 11,30, estou a bocejar e a chamar pelo sofá. Para além de tudo, continuo a medicar o Farrusco e convém não atrasar muito a toma do analgésico. Tem nova consulta de rotina na segunda (o hospital é um espectáculo, estas consultas de rotina não se pagam).

Resumindo e baralhando, amanhã vou ver a JV depois do almoço, é brincadeira para durar a tarde toda. De seguida, aproveitarei e ficarei pela Baixa e darei uma saltada à Mouraria para assistir ao 'Belissima', do L. Visconti, no âmbito do 'Fitas na Rua'. Domingo é a vez da peça 'Preocupo-me, Logo Existo'. Fim-de-semana cheio. Espero que não surjam mais cabelos brancos.

25 comentários:

  1. Ah, cabelos brancos... Eu acho que (ainda) só tenho um. xD Fruto das agruras desta vida!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. vou ter que conversar com a minha cabeleireira...

      Eliminar
  2. Cabelos brancos são sinal de experiência de vida.

    Os meus são a excepção à regra. Já me acompanham nos últimos 25 anos. looooooooool

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. experiência? :) a minha mãe e avó só começaram a tê-los muito tarde. e aos 60 a minha avó tinha-os grisalhos, mas não brancos. eram lindos. :)
      claro que não tenho nada contra os cabelos brancos, e estou convencida que quando surgirem, virão todos ao mesmo tempo.

      Eliminar
  3. Que pena não te poder acompanhar neste fim de semana :(

    Havemos de ter outras oportunidades ;)

    Beijinhos grandes e diverte-te

    ResponderEliminar
  4. Respostas
    1. infelizmente, a máquina tinha a bateria vazia. tirei algumas no tlm da idade da pedra, mas acho que não ficaram muito bem.
      se é ao cabelo que te referes, estou à espera que nasçam mais alguns :P
      bjs.

      Eliminar
  5. Não sei não... Com esse stress de fim-de-semana... Lá para segunda-feira terás mais que o jorge jesus. Just saying...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. quem?
      mas não deixas de ter razão. como boa portuguesa, deixei para os últimos dias. esperei 2h30 na fila para entrar e a visita demorou 1h30. saí de lá com uma dor de cabeça descomunal. o que vale é que ando sempre com ben-u-ron na mala.
      já estou fina, como se pode ver por esta hora da matina...
      para acrescentar, o continente online vem cá esta manhã. tenho mais aborrecimentos em arrumar as compras do que em conciliar a agenda cultural.

      Eliminar
  6. que belo fds, as saudades que eu tenho de um fds assim, cheio de cultura, os meus têm sido muito monótonos :)

    gostei muito dessa peça do Diogo Infante, e estou curioso para conhecer a tua apreciação.

    quanto aos pelos brancos, os do cabelo não me incomodam, os da barba tenho muito carinho por eles :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. são largos os fds em que não saio da minha terra, da minha rua...
      eu não sou muito boa a fazer críticas, a ver vamos, mas gosto do DI.
      é verdade, de facto os cabelos brancos não me importam assim muito. e continua lá na cabeça o dito :)

      Eliminar
  7. O meu miúdo também anda com esse drama "cabelos brancos" LOL Há coisas inevitáveis... mas não me parece assim uma coisa demoníaca :P

    ResponderEliminar
  8. A 'Belíssima' é um filme magistral, adorava vê-lo projectado assim, na rua. Acho que só podes ter gostado, a Anna Magnani é magistral!
    Essa iniciativa é muito gira e o facto dos filmes serem sempre exibidos em frente ao local onde existiram velhos cinema é muito engraçada.
    Bjs e boa semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a AM é deslumbrante, volumptusoa, alegre, uma verdadeira mãe, e a vida naquele prédio de classe média-baixa é retratada de uma forma excelente pelo LV.
      podes crer e o melhor é que não pagas para ver, tens direito a cadeirinha e mantinha. esta noite é aí perto de ti, em frente ao s. jorge.
      boa semana.
      bjs.

      Eliminar
  9. Os cabelos brancos nem sempre significam o aproximar da meia-idade. Há factores genéticos. O meu professor de Educação Musical, no ensino básico, devia ter uns trinta anos e tinha a cabeça repleta de fios brancos. :) Em todo o caso, podes sempre pintar. A mãe, com bem mais de cinquenta anos, tem pouquíssimos brancos, herdando bons genes da sua mãe, nomeadamente.

    Também tento aproveitar o dia do espectador no ECI. São as melhores salas de cinema de Lisboa.

    bjo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. há coisa de 20 anos, conheci um rapaz que teria uns 17 com imensos cabelos brancos no meio dos caracóis escuros.
      pintar? espero ainda demorar muitos anos até lá chegar :P
      espero ir na próxima 4.ª ao ECI, logo verei.
      bjs.

      Eliminar
  10. Eu fui um dia antes ver a exposição e foram quase 3 horas de fila. A exposição está(va) boa e a valeu pela visita ao palácio, porque até gostei mais da do CCB.

    Vou aproveitar as sugestões, porque esta é semana de "viver" lisboa em família :)

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a do CCB não tinha tantas peças, mas confesso que a JV não faz muito o meu estilo. claro que vale por dar destaque, um enorme destaque, a peças do universo feminino, do seu quotidiano, e o marketing foi fantástico. pessoas que eu normalmente não associaria a visitar museus e afins, estavam lá.
      mas estava já farta de ver o mesmo estilo nas peças do RBP e a renda em crochet dos Açores. não me batam! :P
      gostei da mistura entre o real e a arte kitsch, o popular e a sumptuosidade 'simples' do palácio. adorei o quarto azul da rainha.
      então, aproveita, lisboa tem muita vida cultural estas semanas e grande parte grátis.
      bjs.

      Eliminar
    2. As peças com as rendas dos Açores estavam muito bem integradas no palácio, muito bem escolhidas para cada sala e essa para mim é a nota mais positiva. Pessoalmente, achei essas peças muito bonitas e extremamente bem executadas.
      Gosto bastante da obra da JV mas sinceramente esperava algo mais arrojado.

      Já tinha visitado o palácio há uns anos, e com visita guiada. Para além das notas em cada sala, valeu ainda lembrar-me de muitos detalhes, porque visitar um palácio destes sem guia, perde parte do interesse.

      Bjs

      Eliminar
    3. estou como tu. esperava algo mais arrojado. claro que o crochet é lindo, e sei do que falo, a minha avó era exímia nisso. esperava mais, mais, tipo coração independente, mas adorei as fontes ferros de engomar :P
      (eram fontes no jardim de inverno, não eram?)
      a royal valkyrie foi a cereja no topo, muito por causa do recital de piano da Inês Andrade.
      sim, quando visito palácios, também prefiro com guia.

      Eliminar
    4. Também adorei as fontes com ferros de engomar no Jardim de Inverno (a mim parecem-me naves espaciais :-)
      E senti a falta dos outros corações. A sala dos corações é ainda hoje a imagem que guardo da exposição do CCB.
      Bjs

      Eliminar
  11. Cabelos brancos tenho-os há um ror de anos e é genético.
    Gosto e há quem goste e não me preocupam nada.
    Gosto muito do PI e tenho pena de não ter visto a peça.
    Concordo como Arrakis, "Belíssima" é um grande filme e a Magnani tem uma interpretação "arrepiante"!
    Quanto à Joana Vasconcelos é melhor estar calado ou então dizer apenas isto: o Palácio da Ajuda é lindo!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é isso, é lindo :)
      quanto ao DI, foi mesmo o último dia, depois de um ano em digressão pelo país.

      Eliminar