sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Protecção divina

'Os vendavais, esses eram repentinos. Na violência do seu sopro adivinhava-se o poder de espíritos malignos, determinados a arrasar tudo. E aquela gente, que vivia ali sem capela, nem sequer umas alminhas, só com a protecção de algum santo de calendário e das medalhas penduradas nos rosários, corria a recolher os animais, agachava-se em torno da lareira a rezar para que o Senhor se compadecesse. Vida de medo.' - p. 13.

J. Rentes de Carvalho, 'Ernestina', Quetzal, 4.ª edição, Abril de 2013.

Sem comentários:

Enviar um comentário