sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Felicidade

Ontem, consegui apanhar o comboio mais cedo, cheguei a casa a tempo de ir ao mercadito de frutas que existe na minha rua, comprei frutas e legumes, satisfeita por não estar mais ninguém na caixa, despachando-me rapidamente.

Depois, mal abri a porta de casa, as gatas estavam em sentido no hall à minha espera. Enroscaram-se nas minhas pernas, depois a Elvira brincou com as chaves penduradas na fechadura uns segundos, o suficiente para eu dar um afago na Joana, enquanto a Alice se espreguiçava na parede, quase tocando no interruptor. Preparei o almoço para hoje, jantei papas de aveia com banana polvilhadas com canela, barriga satisfeita, cozinha arrumada, Batá Maria tinha fugido para a escuridão do quarto-de-banho.

Fui para a sala, tirei o primeiro livro da pilha do armário, ao calhas, só queria ler alguma coisa e tive preguiça de regressar à cozinha para ir buscar o livro que ando a ler no comboio, estiquei-me no sofá e tapei-me com o velho cobertor pouco passava das nove e meia. Silêncio em casa, quebrado pelo ronronar da Elvira, que conseguiu um lugar no meu colo. A Joana, que já lá estava, rosnou, como que dizendo 'é o meu trono', virou-lhe costas num total desprezo e também começou a ronronar baixinho. E ali fiquei, num sossego, lendo de vez em quando alto para afastar o sono, mas a cabeça começou a cabecear pouco passava das dez, e eu pensei, momentos antes de adormecer, embalada pelas gatas, que não preciso de muito para me sentir feliz.

18 comentários:

  1. adorei o teu texto. é mesmo preciso muito pouco para nos sentirmos felizes. e tudo o que precisamos é da bagagem que trazemos sempre connosco (e um ou outro livro).
    e também gostei do desenho do Quino, fez-me lembrar uma certa história de um homenzinho que passava as noites a escrever canções de amor.

    ResponderEliminar
  2. Dizem que a felicidade, existindo, está nos pequenos e saborosos momentos da vida. :)

    um beijinho, Margarida.

    ResponderEliminar
  3. Isso é tão bom, tão tranquilo e apaziguador. Naquele momento, está tudo no lugar certo.

    Bjs e bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
  4. E não são essas "pequenas coisas" o verdadeiro sinónimo de felicidade? :) Claro que são :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muitas coisas pequenas assim dão uma grande felicidade :)

      Eliminar
  5. Esses momentos São dos que tenho mais saudades do tempo em que vivia sozinho. Há que saber aprecia los...

    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. se precisas de momentos a sós, é dizeres. é essencial isso numa relação, embora não seja fácil, eu sei.

      Eliminar
    2. Eu não vivo com o meu rapaz..Vivo com os meus pais... lol

      Eliminar
    3. :p não fazia ideia.
      não sei o que é viver com os pais desde o século passado, exceptuando curtos períodos de férias.

      Eliminar
    4. Tu es uma senhora ;^)
      É asfixiante as vezes. Mas atenção, adoro os meus pais...

      Eliminar
    5. criamos vícios, depois é difícil partilhar casa. :p
      mas quando saí de casa, da terra para lisboa, passei uns bons dois anos a chorar pela mãe. isso é verdade. depois, passou e já me era difícil passar muitos dias na confusão da família.

      Eliminar