segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Dos afectos

O Miguel escreveu este texto sobre o meu livro. No mesmo post, também escreve sobre o novo livro da Index ebooks: Dicionário de Literatura Gay. A Index é a minha editora, também é a sua, e está a realizar um trabalho fabuloso.

Queria dizer o quanto foi, o quanto é, importante para mim a amizade do João Roque, do Miguel, do João Máximo. Nem todos estariam disponíveis para ler as histórias de alguém de que pouco se conhece, eu, que caí de paraquedas nesta blogosfera, quando muitos já se conheciam há anos.

Houve jantares, conversas, encontros, e fiquei mais à vontade para lhes enviar os contos. Eles estiveram sempre disponíveis. Um email, um telefonema, uma palavra de incentivo que sempre me deram, porque acreditaram em mim quando eu não tinha a confiança necessária. Ainda não tenho, confesso. Sinto que me falta muito para chegar lá, onde quer que seja esse lá, talvez seja acabar de ler a história e voltar ao princípio, porque essa é a história certa...

Gostei de muitos dos meus contos, sim, claro que sim. Não sei se são os contos certos, como acabar de os ler e fechar os olhos e sorrir e pensar muito neles e regressar ao início, mas emocionei-me em muitos deles, chorei, tocando em áreas demasiado sensíveis e que não me diziam respeito. Fi-lo com medo de me estar a intrometer, a história não era minha, com medo, sim, de ter ido longe demais.

Não sei se tenho a capacidade de agarrar alguma característica e transformá-la numa história, neste caso, na vossa história. Às vezes, dá certo, noutras, nem tanto. Às vezes, é o retrato a papel químico, outras, é o que eu gostaria que essa pessoa fosse.

Agradece-se o gesto de carinho do Miguel humildemente, com uma pequena vénia, como a que um belo gato amarelo, um dia, fez.

20 comentários:

  1. E o teu livro tem que passar à frente na minha lista... mas tenho que acabar O Reino... mas aqueles diálogos em galego matam-me.

    ResponderEliminar
  2. Tu bem mereces,

    Posso falar pelos contos que me dedicaste sem me conhecer pessoalmente

    Muito Parabéns

    Beijinhos Grandes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. dediquei-te um. no outro, já te conhecia :)
      obrigada.
      bjs.

      Eliminar
  3. Estou a gostar muito. Já li alguns contos, outros já tinha lido. Quando terminar também farei uma opinião no meu blog:-)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada. fico à espera.
      sim, a maior parte são as histórias que estão ali ao lado. umas são novas, poucas, para ser novidade :)

      Eliminar
  4. adorei a vénia felina. que agradeço e, naturalmente, retribuo :)

    ResponderEliminar
  5. O João Roque, o Miguel e o João Máximo são pessoas encantadoras. Tenho um especial carinho pelos dois primeiros devido a uma certa proximidade. O João R. acompanha-me há anos.

    Quero ver se encomendo a versão em livro. E depois quero um autógrafo, hein!

    um beijinho, Margarida.

    ResponderEliminar
  6. O texto do Miguel é lindíssimo e consegue, de alguma forma, enunciar os encantos da tua escrita, com os quais concordo plenamente. :)

    Ainda não tentei fazer o download por falta de tempo, a minha vida anda a mil, mas não me esqueci :)

    Bjs.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu fico maravilhada por os meus contos transmitirem tanta coisa. e muito feliz :)
      fazes quando puderes, claro.
      bjs.

      Eliminar
  7. Como disse no comentário que deixei no blog do Miguel, a seu tempo virá no lugar próprio - o meu blog - um texto sobre os dois lançamentos.
    Mas isso não implica que desde já vos parabenize efusivamente pelos eventos.
    E um obrigado do coração às tuas palavras sobre mim (e ao Mark também),
    Desde muito cedo "apostei" em ti, não só como escritora, mas principalmente como amiga.
    E é curioso um facto quase promenitório: recordas-te quando te convidei para jantares aqui em minha casa? Quem eram os outros convivas, além de mim e do Duarte, claro?
    O João Máximo e o Luís Chainho. Conhecemos-nos todos na vida real, nessa noite aqui em casa e foi um belo serão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. lembrei-me desse jantar quando escrevia este texto :)
      pois foi. um belo serão. e graças a ti. :) longe de imaginar que estaria com um livro nas mãos - ainda não o tenho, mas terei, sim. e se não te importares, vou oferecer-te um. eu sei estavas a pensar comprá-lo, por isso... :)

      Eliminar
    2. Tive tanta inveja desse jantar, disse tanto mal da província :D

      Eliminar
  8. Já o encomendei, Margarida...
    E não posso anular a encomenda, mas posso sempre oferecer o livro a alguém que o mereça.
    Obrigado.

    ResponderEliminar
  9. Tenho para mim que as amizades são marcadas por dois vectores essenciais, o tempo e a profundidade. E nem sempre estes vectores se cruzam, nem sempre uma amizade longa é profunda, nem sempre uma amizade profunda se prolonga. É fantástico que ao longo da nossa vida, e nos momentos mais inesperados, surjam pessoas assim espetaculares que nos motivem a atingir objectivos que sempre adiámos. Parabéns a ti pela tua obra, e pelos amigos que tens (se são teus amigos, é porque o mereces). :D

    ResponderEliminar