domingo, 30 de março de 2014

Eu é mais bolos III

Ontem, o encontro do Eolo correu muito bem, como o Eolo mencionou aqui. Gostei mesmo muito do local (Miguel, vais adorar!), da companhia, dos bolos, das gargalhadas, das histórias, das crianças. Foi uma tarde excelente.

A torta fez um sucesso. Restou uma fatia pequenina, deixei-a lá. Como o Eolo recomendou, eu trouxe um bocadinho de cada bolo para casa.

Partilhei a receita com a senhora do café, eu não me importo. O que é bom é para se divulgar. Já não é bem, bem a receita da família, porque originalmente era maior, tinha mais ovos, mais açúcar (muito mais), mais laranjas. Depois de muitas tentativas e erros, cheguei à receita da 'Torta da Margarida', como o Eolo baptizou, e muito bem.

Segue, então, a receita tal como a fiz e peço ao Eolo que a imprima e dê à senhora do café, porque eu escrevi-a num pedacinho de papel e a minha letra não é famosa e faltavam muitos procedimentos.


Torta de laranja da Margarida - moi même - :D

Ingredientes:
  • 2 laranjas
  • 1 limão
  • 350 gramas de açúcar branco fino
  • 3 colheres e meia de sopa de farinha fina
  • 1 colher mal cheia de sopa de margarina
  • 4 ovos médios

Modo de preparação:
  • Aquecer previamente o forno, escolhendo a temperatura média (o meu é eléctrico, ficou nos 170, 180.º C e apenas a resistência de baixo);
  • Estender uma folha de papel vegetal num tabuleiro e untá-la com óleo (eu uso óleo e um pincel por ser mais rápido do que a margarina. Verto um pouquinho de óleo numa taça e pincelo a folha toda, depois encaixo-a no tabuleiro);
  • Derreter a margarina no micro-ondas em temperatura baixa;
  • Espremer as laranjas;
  • Raspar a casca do limão para um pires;
  • Espremer o limão (eu raspo primeiro e espremo depois por ser muito mais prático);
  • Juntar as raspas do limão ao sumo, juntar o açúcar. Mexer bem;
  • Juntar a margarina arrefecida;
  • Juntar os ovos inteiros um a um, isto é, abrir, juntar, mexer devagar para não levantar espuma, repetir, etc;
  • Juntar farinha colher a colher, devagar, envolvendo bem. Aproveitar que se está com a mão na farinha e polvilhar o papel vegetal untado. Espalhar bem, bater no tabuleiro e o excesso verter para a massa do bolo;
  • Com cuidado, verter a massa para o tabuleiro, colocar no forno aquecido, tapar a massa com uma folha de alumínio para não começar a queimar a parte de cima antes do tempo (o meu forno, apesar de usar apenas a resistência de baixo, é potente, e este bolo é delicado e fica logo cozido);
  • Deixar cozer 50 minutos;
  • Depois do tempo previsto (mais ou menos), abrir o forno, tirar a folha de alumínio, espetar um fósforo para ver se a massa está cozida, voltar a fechar sem a folha em cima. Está na altura de cozer a parte de cima (continuo com uma resistência). Eu vejo pela porta que o bolo começa a pular graças à farinha, mas depois baixa quando abro a porta. Não tem importância, o bolo será para enrolar;
  • Uns cinco, sete minutos depois, é altura de desligar o forno. O bolo fica ainda lá dentro, a absorver o calor e a baixar de volume;
  • Entretanto, desenrola-se uma folha de papel vegetal em cima da bancada de mármore, eu seguro as pontas com copos para não enrolar, polvilha-se com açúcar branco fino;
  • Lá se retira o bolo do forno com as pegas, vira-se o tabuleiro para o papel, ele cai que é uma maravilha (ver foto anterior). Espera-se um pouco até arrefecer;
  • Depois, começa-se a enrolar devagar o bolo com o papel vegetal, formando a torta. Atrás do bolo, eu tinha colocado a travessa para transferir a torta depois deste procedimento delicado;
  • Fica a descansar enrolada;
  • No dia seguinte (eu fiz este bolo à noite), tirei o papel vegetal, o que foi muito fácil, já que estava pegado apenas por uma ponta;
  • Aqueci o ferro de queimar açúcar ao lume e fui queimando aos poucos: aquecer muito bem, colocar em cima do açúcar branco da torta, pressionar um pouco (não muito, não quero lâminas de açúcar queimado, apenas um pouquinho), passo sempre o ferro por água e raspo o excesso do açúcar, volto a colocar no bico do fogão a queimar e repito até o açúcar ficar tostado;
  • Na cozinha, fica um fumo e um cheiro do açúcar queimado, não é mau para uma manhã de sábado :D

Notas importantes daqui da pasteleira armada em perita, agora:
  • O forno deve estar sempre à mesma temperatura. Eu não pré-aqueço a 220.º e depois baixo para 180.º C quando coloco o bolo;
  • Os ingredientes devem ser de boa qualidade. Eu não uso açúcar e farinha das marcas próprias dos supermercados. Já usei e não gostei. Prefiro gastar mais uns cêntimos para o bolo sair como eu quero. O açúcar é fino e a farinha também. A diferença no açúcar, então, é notória.
  • Os ovos devem estar à temperatura ambiente. Eu guardo-os no frigorífico e quando é para usar em bolos, retiro-os uns bons momentos antes.
O truque para enrolar a torta está no papel vegetal. A minha família não tinha o hábito de o usar, mas os bolos, na verdade, eram sempre os mesmos, pão-de-ló, esta torta, bolo de mármore, a torta com massa de pão-de-ló e recheio de geleia de marmelo, que era o melhor bolo que a minha avó fazia :)

E bom apetite. Quando fizerem este receita, digam.

27 comentários:

  1. Foi fantástico ter-te connosco e prepara-te para o próximo, farei chegar a receita à Ana. Um beijo grande e até à próxima.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :)
      vou pensar no próximo bolo :)
      bjs e vou comer ali mais um pedaço de bolo com o café.

      Eliminar
  2. Não foi desta que participei, mas espero vir a participar (não sei bem com o quê ainda), mas fico contente por saber um sucesso logo na primeira iniciativa. Eu pelo menos, fiquei com muita água na boca!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. fica a receita para experimentares :)
      e contamos contigo. bem, eu não organizo, mas irei, que eu é mais bolos e c.ª :)

      Eliminar
  3. E convidem-me a participar na degustação :D

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. ola margarida, tudo bem? como estão as tuas pestes?

    tenho noticias do meu gato!
    Depois de falar contigo, comecei a fazer uma odisseia em casa para ver o que andava o gato a fazer.
    A causa do gato estar mais magro, pode ter sido uma junção de vários factores. Tenho uma cão ah um ano, que ta sempre na rua, conclusão o jardim era todo dele e o gato nuca gastou la muito dessa brincadeira. Como o cão é muito louco, la lhe passou pela cabeça, que estava na altura de destruir as plantas, e acabou por ter que ficar preso definitivamente e o gato voltou a ter tudo para ele. Conclusão o gato começou a passar a vida na rua, já não queria saber de niguem nem de nada. vinha dormir a casa e partir das 6/7 da manha ja não deixava niguem dormir porque queria ir para a rua :S
    Uma das causas tb é que com a rua deixou de comer e andou com o "Janeiro". Sempre comia no mesmo sitio, deixou de la ir de uma dia para o outro. não consigo entender o porque, nada foi mudado do quarto dele, tive que por o comer na sala e mais uma vasilha na rua. ao fim de uma semana comecei a ter resultados, já come mais e anda mais pesado finalmente :):) :). (tive um caso assim com o gato na antiga casa, mudei tudo onde ele comia e ficou com fobia ao sitio, fazia de tudo para la não ficar. Fui o brigado a por tudo como estava).

    Agora já anda mais mimoso, faz mais trapalhadas e tem riações parecido como um cão. O tobias já voltou ao que era! Agora tem um novo amigo, desconfio que o tobias anda a dar comida aos amigos.

    bom domingo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. gato temperamental. tem de ser tudo à sua maneira :) por isso é gato e não cão :D
      ainda bem que não foi nada de grave.

      Eliminar
  5. Margarida, és uma mulher e tanto. Multifacetada até mais não...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. apenas estou a descobrir a arte da pastelaria. antes eu não ligava nada à cozinha. agora, até lhe acho piada :)

      Eliminar
  6. Devias de vender para fora Margarida LOL :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. queres comprar? bem que preciso complementar o meu parco salário.

      Eliminar
    2. Já cheguei a comprar bolos para consumo interno.

      Eliminar
    3. o email está no perfil. os negócios são em privado :)

      Eliminar
  7. Pela foto, a torta deveria estar óptima.
    Falas no local, mas clicando no link que indicas não fiquei a saber onde foi...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. foi mesmo nesse local, uma livraria que tem um pequeno café ao fundo. muito simpático. a livraria fica quase em frente à assembleia da república, é o início da rua de são bento, e começa numa ruazinha pequenina. é um ponto a considerar para futuros lanches.

      Eliminar
  8. fiquei muito curioso em conhecer a livraria (vou guardar o link, é um lugar a explorar). e em provar a torta, claro. até mais um bocadinho em relação à torta, confesso ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sempre posso enviar para aí. ou da próxima vez que desceres, avisa que te ofereço uma :)

      Eliminar
  9. Eu tb é mais bolos (mas é mais comê-los) :)
    Embora não aprecie laranjas, gosto de bolo/torta de laranja, e tinha uma tia que fazia uns bolinhos de casca de laranja que era uma maravilha :)
    Está tb de parabéns o Eolo pela iniciativa.
    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. resta fazer um evento paralelo ao do Eolo, tipo as séries que nascem das séries. eu levo a torta :D
      está, sim, o evento do Eolo foi um sucesso.
      bjs.

      Eliminar
  10. Tem um aspecto delicioso! Não sei fazer nada na cozinha, nem ligo muito a bolos, mas como. E adoro torta de laranja. É sempre um dos bolos presentes na mesa de Natal, por exemplo.

    um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não há muitos meses, eu escrevia aqui que não gostava de cozinhar, era uma obrigação tremenda. chegava a casa tarde e ainda tinha que me meter na cozinha. agora trabalho mais uma hora, acordo mais cedo, chego um pouco mais tarde, mas já não me importo de cozinhar. aprendi aos poucos. levo a marmita para o trabalho, descubro e invento novos pratos, que são simples, não vou a workshops culinários, porque prefiro aprender por mim e de experiência em experiência, tem sido divertido. e é, de facto, anti-stress. e gosto de fazer bolos.
      tens que provar esta torta um dia.
      bjs.

      Eliminar
    2. Está (estava) húmida e suculenta. Os olhos também comem. :) Repito, adoro torta de laranja.

      Claro que provo. Será um prazer. :)

      bjo.

      Eliminar
  11. para quem tem interesse, há anos que espreito este blogue: http://paobolosecia.blogspot.pt/
    fica o link e deliciem-se com os pratos :)

    ResponderEliminar
  12. Eu para bolos não me ajeito nada mesmo, mas tive pena de não ter disponibilidade naquele fim de semana para 'ser juri' de bolos. Depois era a semana toda a sofrer na passadeira rolante, mas só pelo aspecto dessa torta de laranja já valia a pena.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nem te digo nada, as calças já apertam.
      e para a semana tenho 2 na calha :D

      Eliminar