domingo, 9 de março de 2014

Liberdade


"É um engano catastrófico pensar que só se pode estar a favor ou contra a liberdade, porque a liberdade tem muitos rostos. A imensa quantidade de russos que se mudou para cá para se misturar com o povo letão e lentamente obrigar-nos a submetermo-nos, não teme apenas pelo facto de a sua presença ser questionada. Receiam naturalmente perder todos os privilégios e a história não conhece exemplos de ninguém que voluntariamente desista dos seus privilégios." (...) "Para nós, a liberdade é sedutora, como uma bela mulher irresistível, mas para outros, a liberdade é uma ameaça que tem de ser combatida com todas as armas."
p. 120.


Não cesso de me maravilhar com a coincidência de anteontem ter começado a ler um livro escrito em 1991, há pouco ter lido este trecho e o que está a acontecer neste momento na Ucrânia.

8 comentários:

  1. Por acaso é muito pertinente Margarida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. de facto.

      uma correcção: a história passa-se em 91, o livro foi publicado na Suécia em 92 e a Presença só publicou por cá em 2002.

      Eliminar
  2. Infelizmente a História repete-se e não aprendemos nada com ela :(

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. cada vez mais concordo contigo, Francisco.

      Eliminar
  3. Coincidências engraçadas, ou nem tanto... O problema da Ucrânia é não ser nada homogénea. Tem uma maioria russa na Crimeia e na zona oriental do país e faz fronteira com uma poderosa e insaciável Rússia...

    um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim, e o que eu temo é um banho de sangue, como aconteceu em Kiev. e com uma amálgama de poderes, neonazis, nacionalistas, minorias étnicas, ou se começa a tratar este assunto de uma maneira séria ou espera-se o pior.
      bjs.

      Eliminar
  4. Ai isso far-me-ia repetir tanta coisa que eu já disse e que tanta gente não aceita; serão cegos?
    O pior cego é o que não quer ver...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. isto não augura nada de bom... não será uma primavera ucraniana, não...

      Eliminar