sábado, 10 de maio de 2014

Agosto

Agosto é um policial negro de Rubem Fonseca, cuja história se passa neste preciso mês do ano de 1954. Crimes, atentados políticos, lutas pelo poder e manifestações são o prato do dia.

Quando o comecei a ler - o chefe da guarda pessoal de Getúlio Vargas planeia a morte do jornalista Carlos Lacerda, enquanto que, no primeiro dia de Agosto, um empresário é assassinado no Rio de Janeiro - achei a história conhecida (ainda só li umas vinte páginas), pelo facto de o comissário Alberto Mattos sofrer de dores de estômago (úlcera) e estar sempre a beber copos de leite.

E foi aí que me lembrei. Em meados da década de 1990 (96,97), a mini-série Agosto (realizada pela Globo) foi transmitida na TV (provavelmente na RTP2, ao serão). Só me recordava do José Mayer na personagem do comissário e não acompanhei a série até ao fim, pois não me lembro do resto da história. 

Encontrei um pequeno vídeo no youtube, já que pesquisei no arquivo da RTP e não consegui nenhuma referência a esta mini-série. Aqui vos deixo.

10 comentários:

  1. Parece interessante, mas tenho um problema não é a minha onda (os policiais)...

    Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. muito bom. eu já li dezenas de policiais e este está entre os melhores. em 1954, misturando realidade e ficção, é muito psicológico. negro, muito bom, de facto.
      bjs.

      Eliminar
  2. - Agosto, lembra-me o calendário dos bombeiros xD
    - Tenho um livro desse autor cá em casa. Comprei-o ao engano, porque pensava que era português de portugal. Contudo, qq dia vou le-lo. Ainda vou ficar fã e começar a comprar livros em brazuca... ehehe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. em português do Brasil...
      acho que tens para aí um preconceitozinho contra romances brasileiros. são muito bons, muito fluídos. podes estranhar a princípio, mas depois entras no ritmo e não consegues largar a leitura. eu, pelo menos, não consigo :p

      Eliminar
    2. Desculpa, Margarida, enganei-me. Mas como senhora inteligente que sois, percebes-te.

      Não é preconceito: é gosto. Não gosto de ler em português do brasil. Contudo, já li romances do Paulo Coelho, e até gosto (desde que não leia dois seguidos), pois são "traduzidos" para português de portugal.

      Eliminar
    3. eu percebi o que querias dizer, Horatius :) não tens que pedir desculpa. e não entendeste a minha ironia. não foi intenção minha dar-te uma 'reprimenda' com a minha correcção. quem sou eu? enfim, eu apenas não gosto. tanto se referem ao português do Brasil como brasileiro que as pessoas acabam por acreditar.
      sim, eu percebo que é gosto. não aprecias e estás no teu direito. eu, por outro lado, gostei muito de ler, por exemplo, 'o meu pé de laranja lima' e outros livros do José Mauro de Vasconcelos sem serem adaptados para o nosso português. acho que se forem, perdem metade da ternura.
      e é o caso dos policiais de Garcia-Roza e deste, agora. são narrativas muito particulares. autores brasileiros prefiro ler em português do Brasil, como mencionei :)

      Eliminar
  3. Muito interessante, o livro e a série, que infelizmente não vi.
    O livro ainda estou a tempo de ver.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. o livro é um ebook ;)
      sim, sem dúvida que é excelente.

      Eliminar
  4. não vi a série, mas o livro do Rubem, adorei

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim, estou a gostar bastante, também. que grande personagem é a do comissário Mattos.

      Eliminar