sábado, 2 de agosto de 2014

Lisboa-Coimbra-Viseu

A minha escapadinha à cidade que me viu crescer (saí de lá aos dezoito anos) contemplou uma paragem em Coimbra. Ainda antes de irmos almoçar, o Miguel fez uma visita guiada ao sítio onde vive, depois passámos pela sua livraria preferida, pela rua onde fica o seu local de trabalho e depois levou-me a almoçar a um sítio muito bonito. Fica dentro de uma urbanização magnífica, com uma pequena piscina, um lago artificial com patos e uma vista desafogada. O tempo voou, colocámos a conversa em dia, estávamos a ler o mesmo livro (o Miguel em suporte de papel e eu em ebook - mostrei-lhe o kobo, ando sempre com ele, seja em viagens, seja para ir apenas ao café e estar um tempo na esplanada a apanhar sol). Depois, demos uma volta rápida de carro pela cidade, para eu ficar a conhecer Coimbra - conheço de passagem, ou seja, muito mal -, e deixou-me em frente à central de camionagem. Eu pensava que tinha um expresso às quatro horas, afinal, esse horário é apenas às sextas-feiras; havia uma carreira rápida da Transdev às 16:45, fui até ao café e acabei de ler o livro no Kobo. A carreira rápida não foi tão rápida assim, era mais barata que o expresso quinze minutos depois, mas parou em Santa Comba Dão e em Tondela. Uma hora e picos depois, lá cheguei a Viseu.

A primeira coisa que fiz após sair na central de camionagem foi ir ao Dia e comprar garrafas de água. Iria caminhar imenso no dia seguinte e, além disso, era um dia típico de Verão, quente, e dentro da camioneta estava um forno. Era um autocarro bastante antigo e o ar-condicionado pouco funcionava.

Estava eu a subir a rua no centro da minha cidade quando olho pela janela de uma cafetaria-gelataria novinha em folha e lá estava uma amiga. É a ama da minha irmã, tem a mesma idade da minha mãe, conversamos sempre imenso, era também muito amiga da minha mãe e mais de vinte anos após ter tomado conta da minha irmã, os laços mantêm-se apertados. Vou sempre visitá-la quando me desloco a Viseu. Quem diria que eu iria encontrá-la nem vinte minutos depois de chegar a Viseu, por acaso, pois iria visitá-la mais tarde.

À noite, jantei no centro histórico e assisti na Praça D. Duarte  à apresentação dos filmes vencedores do 'VistaCurta 2014' - Festival de Curtas de Viseu, um festival que se iniciou em 2010.

Foi um dia fabuloso. Eu estava cansada da viagem, mas feliz por o dia ter corrido muito bem.

12 comentários:

  1. És da Terra das Rotundas ;)

    Gosto muito de Viseu :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sou, mas são demais. desnecessárias.
      ainda bem que gostas :) está linda, mas noutros sítios uma desolação. muitos prédios abandonados...
      bjs.

      Eliminar
  2. Não sei qual é a livraria em questão, mas é uma boa livraria em Coimbra a Livraria Almedina. Há também na Av. Fernão de Magalhães (a mesma da Rodoviária) uma espécie de Feira de Livros em fim de edição.

    Coimbra é uma cidade fantástica! Adoro :)
    Sobretudo Santa Clara, com os dois mosteiros e a Quinta das Lágrimas!

    Viseu não conheço tão bem, mas é uma falha que quero colmatar nem sei bem quando...

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é a almedina, sim.
      não reparei na feira de livros na rua da rodoviária...
      bjs.

      Eliminar
  3. Uma óptima paragem em Coimbra e um sempre necessário regresso às origens.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sem dúvida. estava a precisar.
      foram dias plenos :)

      Eliminar
  4. Não conheço Coimbra e nem Viseu. Creio que passei por Coimbra uma vez, em criança, segundo sei. Claro que é sempre bom desfrutar da companhia de um senhor como o Miguel, pessoa que muito estimo.

    Continuação de boas férias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim, foi muito boa a companhia do Miguel.
      obrigada e igualmente, Mark.

      Eliminar
  5. foi tão boa a tua visita, Margarida. tanto, que me soube a dia de férias. sempre que quiseres, e puderes, fazer uma parada técnica por cá, eu alinho. ou então pegas no Mark aí em cima, e vêm cá os dois num fds conhecer a cidade. eu à universidade não vos levo (mas dou-vos boleia), mas ao Museu machado de castro e a Conimbriga sim. e ficam a conhecer os melhores restaurantes da cidade :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. aí em baixo, que já estou em casa (é como eu, lá em cima e lá em baixo, :D)
      eu aceito o desafio. quando quiseres, mas deixa-me descansar destas mini-férias. ainda não parei, incluindo hoje :p
      eu também gostei muito da tua companhia e na verdade, apetece-me regressar às origens, como diz o JR, de vez... vendia a casa, pedia a mobilidade, mudava-me, eu e os gatos e a tartaruga. Viseu está linda e tem muita vida cultural. não me refiro apenas ao teatro, clubes de vídeo, museus ao redor, termas, enfim, e também fica a um passo de tudo, agora. estou aqui a remoer a ideia desde que regressei.

      Eliminar
    2. é tentador, sim. apesar de em Lisboa haver maior oferta cultural, com o cansaço, as distâncias, o tempo, acaba por não se usufruir de tudo. e em Viseu há coisas excelentes, como o Viriato, ou o ACERT em Tondela, a dois passos. e poderíamos instituir um programa de visitas mútuas, com intercâmbio literário :)

      Eliminar
    3. :) estou quase convencida, só o intercâmbio literário é meio caminho :)
      a parte de vender a casa, arrendar uma lá e arrumar os tarecos é que me segura. sou muito comodista. mas a pensar, a pensar, a ideia vai criando raízes, vai...

      Eliminar