domingo, 10 de agosto de 2014

Viseu IV

Do adro da Sé, é um pulinho até ao Rossio, onde está um bonito painel de azulejos.


Construído em 1931, constitui-se como um apelativo painel em tintas azuladas, do azulejo fabricado em Gaia, fazendo o enquadramento da Praça do Rossio e criando uma ambiência festiva e convidativa ao lazer. Joaquim Lopes (1886 - 1956) soube captar neste friso azulejar a vivência própria da cidade e das suas gentes num tempo em que se vivia gostosamente. (texto retirado do site da C.M. de Viseu, aqui).

No Rossio, temos acesso a vários parques. Assim, mesmo ao lado do painel de azulejos, encontra-se o lindíssimo Jardim da Mães.


Um simpático espaço ajardinado que recebe o toque afectuoso de um menino que dorme no colo de sua mãe, que o escultor Oliveira Ferreira soube captar num bronze artístico e de singular beleza, homenageando desta forma a terra de sua mãe.

Do outro lado do Rossio, podemos apreciar outro jardim, o Jardim Tomás Ribeiro.


A deslado do Rossio, contra a fachada poente da Câmara Municipal, o Jardim Tomás Ribeiro, recentemente renovado, oferece-se à cidade como um local ajardinado, de sossego, com um recanto mais intimista e que desta forma romântica homenageia Tomás Ribeiro. Um espaço também de encontro entre convivas, onde nos podemos demorar e observar como a cidade vive. (texto retirado do site da C.M. de Viseu, aqui).

O Parque Aquilino Ribeiro, local onde passei tanto tempo em criança, estende-se no outro lado da Praça do Rossio. Naquele tempo, existia uma biblioteca infantil, com o mesmo nome do ilustre escritor, que foi um dos meus locais preferidos.

 
O Parque Aquilino Ribeiro, vulgarmente chamado Parque da Cidade, apresenta-se como um aprazível espaço de fruição da Natureza. Um parque onde existem grandes árvores, diversas espécies botânicas, lago e zona relvada, tendo feito parte da quinta do antigo Convento de St.º António dos Capuchos (doado aos franciscanos em 1635). No parque, pode ainda visitar-se a Capela de N.ª Sr.ª da Vitória (século XVII) e observar-se a estátua de João de Barros. (texto retirado do site da C.M. de Viseu, aqui).

6 comentários:

  1. Gosto muito do Rossio de Viseu.
    Mas ainda gosto mais do Parque da Cidade, onde sempre aconteceram as tais coisas interessantes...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. pois... em abono da verdade, eu nunca ia ao parque à noite. de dia, não tinha medo, mas à noite, sim. claro que se fosse agora, não teria problemas, mas naquela altura sim. nos últimos tempos, sofreu uma grande intervenção. está óptimo.

      Eliminar
  2. O que estou a aprender com Viseu :)

    Gosto muito do teu roteiro :)

    Beijinhos Grandes

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada, Francisco.
      ainda não acabou.
      bjs.

      Eliminar
  3. Respostas
    1. :) ainda não acabei.
      a minha cidade é linda, sim, fizeram grandes obras. olha as autárquicas que foram há tão pouco tempo...

      Eliminar