sábado, 3 de janeiro de 2015

A autoajuda do Lenine

«Autoajuda? Lenine? Está bom! Mas é mais ou menos isso. Longe de ser Augusto Cury, o Lenine indica, de forma objetiva, as soluções para alguns problemas. Um jogo de verbos e ações que deixa tudo mais fácil e simples. Sei que os problemas complexos têm quase sempre soluções complexas, mas a autoajuda do Lenine encanta-me.

   Tá cansada, senta
   Se acredita, tenta
   Se tá frio, esquenta
   Se tá fora, entra
   Se pediu, aguenta
   Se pediu, aguenta...»

Gabriel de Souza Abreu, O Segundo Armário, diário de um jovem soropositivo, INDEX ebooks, 2014.

2 comentários: