domingo, 4 de janeiro de 2015

O Segundo Armário: diário de um jovem soropositivo

   De início, era o medo, a negação, o preconceito da doença, o sentimento de impotência, a angústia, a tristeza. Com o passar do tempo, Gabriel foi aprendendo a lidar com a situação de seropositivo, apesar de a manter escondida dos familiares e da maior parte dos amigos, bem como no trabalho.
   Intercalado por vídeos musicais e links para páginas com informação científica sobre o HIV/SIDA e para um blogue brasileiro cujo autor se encontrava (em 2011) na mesma situação, 'O Segundo Armário: Diário de um Jovem Soropositivo' é um testemunho comovedor de um jovem infectado pelo vírus da SIDA, terminando com uma mensagem de esperança para os que se encontram na mesma situação.
   Para assinalar o Dia Mundial de Luta Contra a SIDA, no passado dia 1 de Dezembro a INDEX ebooks publicou este livro.

   Para encomendar, basta aceder aqui, à página que a INDEX ebooks criou para esta publicação.

11 comentários:

  1. Respostas
    1. sim, Francisco. eu, que estou fora desta realidade, não consigo imaginar o que o Gabriel e outros que são seropositivos estão a vivenciar. porque, apesar de tudo, ainda existe o estigma relacionado com o HIV/SIDA, infelizmente.
      o livro alerta e sensibiliza-nos a todos. aconselho.
      bom domingo.
      bjs.

      Eliminar
  2. A somar ao sofrimento por se descobrir infetado por uma doença terrível, o estigma que a sociedade impõe aos infetados "obriga-os" a sofrer sozinhos, dentro de um "armário", sem o apoio e carinho da família e dos amigos. Para os gays é o segundo armário, dentro do qual se esconde o primeiro, o armário da homossexualidade! Se ao menos fossêmos capazes de nos despirmos dos nossos preconceitos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não somos, não a maioria, infelizmente. ainda temos muito caminho para desbravar. por isso é que publicações deste género são tão importantes.

      Eliminar
  3. Um relato na primeira pessoa. Décadas volvidas desde o isolamento do VIH, em 1984, salvo erro, ainda há muito desconhecimento e preconceito. A luta não está terminada, nem a nível da prevenção, o mais importante, e tampouco no que concerne à intolerância que ainda suscita.

    um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sim, a luta ainda não terminou, por isso é que livros deste género são importantes.
      bjs.

      Eliminar
  4. está na lista, que é cada vez maior e eu tenho dado muito pouca vazão.

    ResponderEliminar
  5. Estou como o Miguel, está na lista, mas não o passo à frente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e o teu kobo é igual ao meu. agora já tem ligação à internet. poderás consultar os sites do ebook através dos links. :)

      Eliminar
  6. Margarida, obrigado pela divulgação e apoio. Tenho aprendido que a solidariedade tem sido a principal forma de combate ao "vírus social" que insiste em persistir na contramão de todos os avanços do tratamento e novas formas de prevenção. Juntos poderemos vencer esse intruso! Um abraço!

    ResponderEliminar