sexta-feira, 20 de março de 2015

A Quinta Mulher

   Um dos melhores policiais de Kurt Wallander, o meditabundo comissário de Ystad, que devorei em poucos dias (mais de 500 páginas). A acção passa-se no Outono de 1994 e vários homicídios, todos de homens, são perpetrados de uma forma particularmente violenta e cruel. 
   Infelizmente, e como aconteceu nos anteriores romances, este livro, considerado um bestseller, tem uma péssima tradução e uma não menos má revisão. A tradução é tão má que confunde, muitas vezes, a leitura.
   Ora, nem tudo é mau. Parece que a Editorial Presença deu conta das horríveis traduções e o romance seguinte desta série, 'Um Passo Atrás', tem um novo tradutor, como pude confirmar quando o folheei na FNAC do Colombo.

7 comentários:

  1. Este livro cheira-me que veio de uma daquelas malucas promoções da Presença... :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. estás enganado. comprei-o em 2012. depois, apesar de ter o n.º 37, era o sexto volume desta série do wallander. coloquei-o de parte e li os outros anteriores, até este n.º traduzidos sempre pela mesma pessoa, sem qualquer brio. nunca me tinha acontecido apanhar tantos livros assim e a presença nada fazer. a maior parte dos livros que tenho são desta editora e são bons. não tenho razão de queixa. felizmente os romances mais recentes têm outro editor e é bem verdade que se passaram alguns anos deste este livro e o seguinte.

      Eliminar
    2. Tenho um dessa coleção (o 62) que veio numa dessas promoções da Presença, daí ter dito isso.
      A série Harry Potter é editada pela presença, e a tradução tem algumas inconsistências, nomeadamente nos termos mais "técnicos", que num livro são traduzidos por uma coisa e noutro são por outra. P. ex.; squib, no segundo livro é um "busca-pé" e depois passa a "cepatorta".

      Eliminar
    3. a tradução é boa, nesse livro de promoção?
      os tradutores não lêem as obras uns dos outros, daí surgirem esses termos incorrectos de livro para livro.
      de uma maneira geral, estou satisfeita com a presença, excepto com estes romances do mankell. a tradutora destruiu os policiais.

      Eliminar
    4. Ainda nao o li, Margarida. Faz parte da "pilha". (Creio que és tu que usas este termo... )

      Eliminar
  2. também foi um dos meus preferidos do Wallander. e tenho cá em casa um para ler, há muito que não leio nenhum do Mankell, já tenho saudades :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu já tenho um homem inquieto, mas antes de o ler vou à cata de um passo atrás, que está esgotado, excepto onde o vi :p
      e este é um dos melhores do wallander (e tem um episódio familiar muito importante).

      Eliminar