sexta-feira, 3 de abril de 2015

Vida

   "Se calhar, o que acontece é que isto é a vida, dizia para consigo desconcentrada, e o passar dos anos, a velhice, quando chegar, não é mais do que olhar para trás e ver as muitas pessoas estranhas que fomos e nas quais não nos reconhecemos." - p. 192.

   Arturo Pérez-Reverte, A Rainha do Sul, Edições Asa, 2003.

8 comentários:

  1. Respostas
    1. o que fomos, que tipo de pessoas deixámos lá atrás, crescemos da maneira mais difícil, desilusões, aprendizagens, ingenuidade, paixões... maturidade. fomos tantas pessoas estranhas...

      Eliminar
  2. Querida Margarida
    Boa Páscoa.
    Velhice é sinónimo de ter vivido muito, de ser um história viva, mas é uma palavra que me assusta. A fragilidade do ser humano quando atinge essa fase, é comovente. Vamos ver se nós chegamos lá!!!. Um beijinho. Lídia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. boa páscoa, Lídia. aqui a citação não se refere à fragilidade e dependência de quem tem muita idade. ao longo da vida comportamo-nos de diferentes maneiras e muitas vezes não nos reconhecemos nessa pessoa. mudamos, crescemos, enfrentamos as adversidades... bjs.

      Eliminar
  3. humm
    Concordo. Aqui há uns anos eu era uma pessoa diferente da que sou hoje. Poderia coexistir com a minha outra realidade, que ninguém nos tomaria por gémeos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a vida vai dando lições. por vezes, aprendemos da maneira mais dura.

      Eliminar
  4. Belíssimo, trágico, assustador e verdadeiro. É o que me ocorre.

    um beijinho.

    ResponderEliminar