terça-feira, 26 de maio de 2015

Lygia e Mário

   
     Dois pequenos grandes livros terminados no fim-de-semana: Antes do Baile Verde, de Lygia Fagundes Telles, e Ursamaior, de Mário Cláudio. Ambos classificados com 5* no goodreads.
 
   Antes do Baile Verde foi publicado pela primeira vez em 1970. O ebook que li é de 2009, da editora brasileira Companhia das Letras. Reúne dezoito contos, o primeiro escrito em 1949 e o último em 1970.
   São dezoito pequenas ficções intituladas 'Os Objetos'; 'Verde Lagarto Amarelo'; 'Apenas um Saxofone'; 'Helga'; 'O Moço do Saxofone'; 'Antes do Baile Verde'; 'A Caçada'; 'A Chave'; 'Meia-Noite em Ponto em Xangai'; 'A Janela'; 'Um Chá Bem Forte e Três Xícaras'; 'O Jardim Selvagem'; 'Natal na Barca'; 'A Ceia'; 'Venha Ver o Pôr-do-Sol'; 'Eu Era Mudo e Só'; 'As Pérolas' e 'O Menino'. O meu conto preferido é 'A Caçada', seguindo-se 'Natal na Barca', 'Eu Era Mudo e Só' e 'O Menino'.
   As páginas finais do livro reúnem algumas críticas literárias, uma carta de Carlos Drummond de Andrade, redigida em 1966, e um depoimento de Urbano Tavares Rodrigues, quando a autora foi galardoada com o Prémio Camões, em 2005.
   É um dos melhores livros de contos que já li, aconselho vivamente.


   Ursamaior, um presente que muito agradeço ao João Roque, foi publicado em 2000. Apresenta sete personagens encarceradas, do jovem assassino Henrique ao transformista Cristiana, passando pelo burlão Rogério e por Geraldo, o jogador, por exemplo.
   Através das narrativas ora na terceira pessoa, ora na primeira, intercalando-se as vidas dos sete homens presos umas nas outras, com os discursos e comportamentos muito próprios do nível de vida de cada um, o autor consegue transmitir um profundo conhecimento da língua portuguesa.
   A história inicial é a mais brutal, como brutal é o fim da última personagem apresentada.
   Mário Cláudio, de quem nunca tinha lido nada antes, é, com justiça, um dos grandes escritores portugueses da actualidade.

10 comentários:

  1. Já li o Ursamaior... e devo dizer que não partilho do teu "entusiasmo". Foi uma leitura "razoável".. Sem vontade de conhecer mais do autor...
    (e ainda bem que todos temos gostos diferentes... :D)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu gostei muito. era por preconceito, enfim, como alguém escreveu no GR também, de nada ter lido antes de MC. e irei ler mais coisas dele, embora não de seguida.
      ainda bem :)

      Eliminar
  2. Li este livro da Lygia há tantos anos que não me recordo nada dele. Sei que era da Colecção "Livros do Brasil".
    Quanto ao "Ursa Maior", comprei-o a dobrar e ofereci-te um dos exemplares; o meu continua à espera de vez...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. na feira de livros do metro do cais do sodré encontrei o livro da Lygia, cheio de pó. custava 2,5. é uma pena que os livros sejam um bocado maltratados. um grande livro e estava para lá, numa pilha com outros exemplares.
      pois foi :)

      Eliminar
  3. já li dois livros de contos da Lygia Fagundes Telles, e ela domina completamente o formato. li-a, claro, por causa do Saint-Clair, que a venerava. e até escrevi uma vez um conto por causa dela, Os Olhos de Lígia.

    também já li esse livro do MC, e gostei, apesar de não ter sido o melhor que li dele. é como dizes, ele tem um domínio da escrita muito grande, ainda que seja um bocadinho barroco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. estou a ler um romance da Lygia, do qual a Globo fez uma telenovela, há muitos anos.
      é o primeiro livro do MC que leio, mas também fiquei com essa ideia do barroco. mas é o seu estilo. quero ler outros livros com calma.

      Eliminar
  4. Não sei se já aqui tinha dito mas é raro ler um livro dum escritor português, e não é por nenhuma razão em especial, pois acabo por escolher os livros pela história. Não tenho por hábito ler contos, mas se com poucas palavras se consegue contar algo que nos cativa, então fico bem satisfeito, acabo por querer que a história continuasse.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a minha estante também tem mais livros de autores estrangeiros do que lusófonos. estou a redimir-me aos poucos. temos excelentes escritores.
      conheces o jovem autor Filipe Faria? tenho os sete volumes daquela saga.:-)

      Eliminar
    2. Margarida não conhecia o Filipe Faria, já fui ver umas coisas e ficou curioso, gosto de livros que marquem a diferença. 7 volumes?! É um desafio, pois quando sei que há uma série de livros quando começo não acabo. Tenho que ler mais sobre essa saga :-) Obrigado pela dica!

      Não tem nada a ver mas um dos meus livros favoritos é " Pôr a casa em ordem" do Matt Ruff, genial, original e com um twist muito interessante.

      Eliminar
    3. vou procurar, obrigada pela sugestão :-)

      Eliminar