segunda-feira, 11 de maio de 2015

O lago

   Da minha mesa de trabalho, avisto um lago artificial que faz parte do campo de golfe. Há alguns meses, dois trabalhadores tiraram um pneu enraizado no meio do lago, afastando do seu pedestal, sem se aperceberem, uma solitária, cinzenta e esguia garça-real. Há anos que esse era o seu lugar preferido.
   A garça passou alguns dias a calcorrear sem sentido a erva junto ao lago, caminhando nas suas finas patas, desconsoladamente, até que desapareceu de vez.
   Hoje, ao fim da manhã, dei conta de novos inquilinos, uma família de patos que fazia o ninho na água. Em primeiro lugar, vi o Sr. Pato, que mergulhava na água cinzenta do lago estagnado e regressava à superfície com o seu prémio no bico, poisando-o no montinho de ervas e de paus, que crescia aos poucos.
   Demorei algum tempo a reparar na D. Pata e em três patinhos, que se aproximaram do ninho em construção. A D. Pata subiu para o topo, mas não se sentou. Ajeitou, com gestos vigorosos, baixando e levantando a cabeça, a sua mais recente casa, enquanto o Sr. Pato colocava mais pauzinhos pequenitos junto ao molho. Pouco depois, a D. Pata saltou para a água e um patinho acomodou-se no ninho, os outros dois preferindo continuar na água, alheios à azáfama dos progenitores.
   De onde me encontro, não consigo distinguir bem as suas cores, são pequenos pontos fulgurantes nadando sem parar. Contrastam com a margem artificial do lago; de uma lona que há muito perdeu a cor preta, restam uma estreita faixa cinzenta na parte de cima e uma grossa e pálida mancha, formada pelos restos ressequidos de lama provenientes do lago quando fica cheio.

14 comentários:

  1. Muito bonito e muito bem escrito.

    ResponderEliminar
  2. Gosto imenso de patinhos. São uns animais tão graciosos. Na Parede, num jardim, há um laguinho com patos que me faz as delícias. Passo que tempos a observá-los. Patos e gansos. :)

    um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eu também. já não posso dizer tão mal de trabalhar longe de tudo. mesmo estando afastada deles, deu para apreciar e de me 'sentir feliz' ;-) .
      bjs.

      Eliminar
  3. Quando os meus pais vivam na Bélgica, havia um lago ao lado do apartamento, e nele viviam muitos patos.

    Por vezes víamos a família a passear fora do lago e o que é incrível é que o parque onde ele está é bem grande, e mesmo assim os patos teimavam em querer aventurar-se para a zona da estrada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. essa não sabia, de os patos serem aventureiros na estrada :)

      Eliminar
  4. gostei muito deste teu texto. mas fez-me ter saudades dos contos. será que eles voltam?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. quais, os da Bette Davis? só no fim do ano, isso se tiver inspirada.
      escrevi um numa iniciativa do Namorado, mas terás de o descobrir aqui: http://namorocomumpopstar.blogspot.pt/2015/05/hoje-o-namorado-sou-eu-fim.html

      Eliminar
    2. estiver e não tiver, agora sou lisboeta, para comer as letras, irra! :D
      acertaste? é difícil ... :P

      Eliminar
  5. Eu da minha janela do trabalho só vejo edifícios... da sala anterior via montes verdes... perdi qualidade de vista.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é uma das 3 coisas boas do meu trabalho, a vista para o campo. já vi coelhos e perdizes famosas.

      Eliminar
  6. Nem me fales de patos.
    Sou alérgico a penas e houve uma história de "terror" quando há uns anos acedi por amizade ir dar de comer a um pato de estimação de um amigo meu, quando das suas férias. Nunca mais...
    Patos por perto, só no prato, e bem desfiado num belo arroz.

    ResponderEliminar