segunda-feira, 22 de junho de 2015

As Vozes do Rio Pamano


   A Tinta da China publicou em 2008 (Espanha, 2004), o extraordinário 'As Vozes do Rio Pamano', do escritor catalão Jaume Cabré. Do mesmo autor, já tinha lido 'Sua Senhoria', publicado pela mesma editora e escrito em 1991. Ambos os romances foram aplaudidos pela crítica estrangeira. Por cá, tiveram a tradução de Jorge Fallorca, falecido no ano passado.
   'As Vozes do Rio Pamano' é uma poderosíssima saga de 653 páginas (e merece cada palavra), que se centra na aldeia de Torena. Aqui, convivem falangistas e inimigos (maquis), que os combatem na sombra, e, entre ódio, vingança, poder, corrupção, religião e um imenso amor, Caubré, num estilo muito próprio, apresenta uma narrativa irreverente, com humor, mas também dorida e apaixonada, misturando pensamentos em discurso directo com diálogos brutos, poéticos, sofridos e amorosos.
   Cabré utiliza uma escrita absorvente. Avança e recua no tempo em simultâneo, mistura personagens, situações, pensamentos e vidas, tudo fazendo sentido e as 653 páginas são devoradas num ápice. 

   Recomendado vivamente a quem tiver coragem para atacar este colosso.

4 comentários:

  1. os livros não acabam, não é? vem sempre um a seguir ao outro :)

    tu estás imparável, com um ritmo fortíssimo. o desafio do goodreads, já ultrapassado?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. credo! não. estipulei 70. se acabar hoje o 'Loanda' serão 50 lidos. o livro é fraquinho, tenho pena. merecia melhor abordagem.

      Eliminar
  2. Margarida a capa é muito apelativa, as 600 e tal páginas nem por isso e tenho que aprender é que antes de comprar um livro de um escritor que não conheço o melhor é ler um pouco, até porque quem escreve tem a sua "marca".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é da biblioteca. passo horas lá. apanho uns quantos, leio um bocado e se me agradam, requisito.
      a marca deste autor é inconfundível. saberia se tapassem a capa de um livro.

      Eliminar