sexta-feira, 3 de julho de 2015

Discworld XV


   Estive a procurar aqui no blogue a última entrada sobre a Batá Maria. Foi em Junho do ano passado. Incrível como um ano passou tão rápido.
   Esta fotografia tem umas duas semanas. A Batá costuma andar pela casa toda (excepto no meu quarto, que está sempre fechado) e a foto foi tirada no quarto-de-banho.
   Mas a minha menina tem estado murcha. Agora, pouco come, pouco se mexe, só interagiu mais quando lhe tirei a carapaça velha. Teve de ser. Ela roçava-se cheia de cócegas, já tinha a nova toda por baixo e bastou levantar as lâminas com cuidado para saltarem.
   Ontem à noite, finalmente, pôs dois ovos. Eu sabia que estava na altura, estava enjoada, pobre Batá, cheia de ovos. Mas ainda não saíram todos. No ano passado, conseguiu pôr uma dúzia deles, mais coisa menos coisa.
   Esta madrugada, pensei que estivessem mais uns quantos na água, mas não. Tem quase vinte anos e julgo que lhe custa cada vez mais esta situação. Vamos ver se logo à noite, quando eu chegar a casa, tenha conseguido botar para fora uma meia dúzia de ovos e recomece a comer. Estou preocupada por não comer e por não se mexer muito. Eu sei. Muita paz e sossego nestas situações é o que se quer, mas uma 'mãe' preocupa-se. Sou super-protectora para com os meus bichos.
   Ah, repararam nas garras dela? A última vez que a levei ao veterinário para cortar as unhas foi há uns três anos. Depois de passar este mal-estar, terá de ir à patacure sem falta.

14 comentários:

  1. Respostas
    1. sanita. não há mais nada que possa fazer. não tenho macho para os fertilizar.
      e, não, Horatius, nunca me passou pela cabeça fritá-los...

      Eliminar
    2. A tartaruga do Mark não é macho?
      Já viste o negócio que podiam montar os dois?

      Eliminar
    3. afinal, parece que é uma Colette :p
      no início, pensei nisso, ainda mais por a Batá ser de raça protegida, tem as riscas vermelhas.

      Eliminar
  2. é tão mau quando eles estão assim "fora de forma" e a gente não sabe muito bem o que é que lhes há-de fazer.
    ontem o juquinhas vomitou de manhã: dois rolinhos de pelo, um fecho da mochila, de plástico preto, e uma argola cor de laranja que eu não consigo perceber de onde veio (quer dizer, antes de ir para ao estômago dele...)
    fico sempre preocupado com estes ataques de voragem, com medo de que um dia destes vai engolir uma porcaria qualquer que vai provocar estragos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. deuses! tudo isso? assustei-me com tanta porcaria que o juju consegue comer.
      dá-lhe aquela pasta para as bolas de pêlo, defur, os meus, uns gostam, outros, esfrego no focinho e eles lá se limpam e comem-na.
      o César chega ao cúmulo de comer as bolas de pêlo que estão no chão quando eu os escovo. uns montinhos enormes. tenho de estar sempre em cima dele. mas é um gatarrão, não vomita assim muito. já a Dalila come a protecção de chão, feita de borracha. quando dou por mim, tenho vómito com pedaços de borracha negra pelo hall. um nojo. mas é onde afiam as unhas.
      pois é, e com este calor, os animais só estão bem esticados no chão, moles, moles, sem vontade de brincar. eles e eu.

      Eliminar
  3. As melhoras da Batá, em primeiro lugar! É o mais importante. Não há-de ser nada!

    A minha come que se farta, como creio que te disse há uns dias. Nunca vi um animal comer tanto. Por ela, comia a toda a hora. Já pensei se será do comer, que não a satisfaz, se bem que foi sempre assim...

    Engraçado, a minha nunca pôs ovos. E nem senti necessidade de levá-la ao veterinário para cortar as unhas. Aqui há uns quinze anos, recordo-me só de lhe ter nascido um alto com pus na cabeça, de lado, e um pouco roxo. Ficámos preocupados, mas lá sarou. Levei para as quedas que ela dava quando pulava do aquário (até comprarmos um de "paredes" altas). Na volta é um macho, não sei mesmo, mas li em vários sites da especialidade que as fêmeas são enormes e têm garras menores... como a minha!

    Os nossos bichitos são de raça protegida e proibidos para venda. Li que são perigosos para o ecossistema! Bah, 'tadinhos.

    um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. perigosos?! são uns doces. eu não gostava de répteis, achava-os asquerosos, mas quando acolhi a Batá há 5 anos, bem, comecei a gostar dela, a mimá-la, a fazer-lhe festas no queixo e ela saía da água e rastejava para os meus pés. :)
      obrigada. é uma fase, é chata, porque sofremos, ela e eu, mas passará, com certeza.
      a Batá tem as unhas enormes. quando tenta subir pelas minhas pernas acima, magoa-me imenso. e agora eu ando de chinelos em casa e quando passa por cima dos meus pés é uma agonia. mãe sofre :)
      bjs.

      Eliminar
  4. Melhoras rápidas para a Batá Maria :)

    Beijinhos e bom fim de semana :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada, Francisco. igualmente :-)
      bjs.

      Eliminar
  5. Tem um aspecto fofo! As melhoras Margarida :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. fofinha? :-) pois, eu não lhe chamaria isso, simpática e mimada, sim. obrigada, namorado.

      Eliminar
  6. Já tive 2 cagados, a Janet e o Doulgas, não sei bem qual dos dois se atirou da janela do apartamento mas deve de ter sido um ato de amor pela falta do outro. Fui o buscar tem teso e seco do sol. Triste sina, mas a culpa foi de quem deixou a janela aberta.

    E sim vi as garras, não sei se irá gostar que mexam nas garras :-p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. já não é a primeira vez que me falam em tartarugas suicidas. elas não têm a noção da altura. só querem apanhar sol. a Batá tem uma piscina no chão da cozinha e eu fiz uma rampa. assim, ela sai quando quer. :-)
      não gosta nada. quando a lavo, encolhe as patas.

      Eliminar