domingo, 27 de setembro de 2015

O conto do Ricardo

   Se o amor acontecesse


   Fora há doze anos.
   Tinham-se conhecido no trabalho. Departamentos diferentes, três andares de distância, encetaram uma conversa de circunstância num dos elevadores. “Cheguei na semana anterior”, respondera a uma pergunta mais curiosa. “Ainda não conheço muita gente”. Nesse mesmo dia, ao fim da tarde, voltaram a encontrar-se à porta do escritório. Sorrisos de reconhecimento, casacos apertados, os dias começavam a arrefecer, um cachecol fora enrolado, uma gola do casaco levantada.
   Lembrava-se de todos os pormenores, de como caminharam sem destino durante muito tempo, de como a conversa acabava de repente e um silêncio, que começava a ser familiar, se instalava entre eles, enquanto se iam afastando do centro.
   Anoiteceu devagar. Os candeeiros da rua acenderam-se, o trânsito tornou-se mais intenso. Hora de ponta. A um dado momento, declarou que era a altura do dia que preferia, quando as pessoas se apressavam para chegar a casa. “Sinto-me a nadar contra a corrente, como o salmão a subir o rio”. Riram.
   Depois, sem saber como, tinham parado à porta daquele pequeno restaurante. Entraram, sentaram-se numa mesa junto à janela e jantaram.
   Sete meses depois do primeiro encontro, a pergunta interrompeu um dos muitos silêncios que habitava entre eles desde o início.
   “O que farias, se o amor acontecesse?”
   Nunca tinham discutido o assunto e ficou surpreendido com a pergunta. Não ousou responder logo. Olhou pela janela a rua deserta. Chovia nessa noite, uma chuva puxada a vento, que batia no vidro sem cessar. Comoveu-se.
   “Caminhava”, murmurou, por fim.

20 comentários:

  1. Uau, Margarida! Um maravilhoso arranque. Colocas-nos todos a babar. Muitos parabéns, querida Margarida.

    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Grande pontapé de abertura mais um desafio :)

    Gostei muito :)

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito! Estou para ver a forma como vais dar a volta a alguns dos títulos que têm te sido apresentados :-) E sei que te vais sair muito bem!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada.
      pois, nem sei como tirar esta bota, mas eu fiz a cama, agora tenho de me deitar nela :p
      vocês não facilitam nada, mas tenho mais contos que no ano passado :)) gente nova, como tu.

      Eliminar
  4. Tens muito trabalhinho pela frente. :)

    um beijinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tenho, Mark, é verdade.
      mas também tenho posts para o blogue até ao fim do ano :)
      bjs.

      Eliminar
  5. Clap clap clap! Adorei! Muito bom Margarida! Que pena ser um "micro-conto" :( Lia muito mais :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada, Namorado.
      se fosse maior, perderia a graça. o resto, deixo à vossa imaginação.

      Eliminar
  6. já li os dois primeiros contos e também eu gostei muito deste início do desafio!

    ResponderEliminar
  7. Adorei este início de desafio! Muito sublime! :D
    Parabéns! ^^

    ResponderEliminar
  8. Foi um bom arranque. Venho comentar dois meses depois de começares, mas guardei está tarefa para um momento de paz e sossego!

    ResponderEliminar