terça-feira, 22 de março de 2016

Quem não está ocupado em nascer está ocupado em morrer

'Lembro-me muito bem de um pormenor curioso: a última canção que punham todas as noites, como um aviso discreto aos clientes habituais de que o bar ia fechar, era It's alright (I'm only bleeding), uma velha canção de Bob Dylan que Rodney adorava porque, tal como a mim os ZZ Top me devolviam o desconsolo sem horizontes da minha juventude, a ele era-lhe devolvido o júbilo hippy da sua juventude, ainda que se tratasse de uma canção tristíssima que falava de palavras desiludidas que ecoam como balas e de cemitérios a abarrotar de falsos deuses e de gente solitária que chora e tem medo e vive num poço sabendo que tudo é mentira e que compreendeu cedo de mais o que não vale a pena tentar compreender, esse júbilo era-lhe talvez devolvido graças a um verso que eu também não consegui esquecer: «Quem não está ocupado em nascer está ocupado em morrer».'

Javier Cercas, A Velocidade da Luz, Edições Asa, p. 30.

12 comentários:

  1. adorei a frase, eu sem duvida estou sempre preocupado em viver, o que talves seja mesmo um defeito, mas adorei esta sua frase, paassarei a cita-lo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a letra é fortíssima. leste-a? está no video, no link. tem mais de 50 anos e achei uma tremenda coincidência estar a ler este trecho e ter acontecido o atentado em Bruxelas.

      na wikipédia tens o significado desta música: https://en.wikipedia.org/wiki/It%27s_Alright,_Ma_(I%27m_Only_Bleeding)

      é um verso extraordinário, sim.

      Eliminar
  2. Dois momentos marcavam a noite; há um par de décadas: a abertura da pista, na discoteca da aldeia, meia noite em ponto com direito a efeitos especiais. E o encerramento do bar/ discoteca com a musica mais calma.
    A frase é espectacular

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. há momentos marcantes e cada um tem a sua música. excelente este livro, excelente a frase escolhida, a música com que se encerrava o bar, as personagens. aconselho.

      Eliminar
  3. É uma letra deveras longa, mas que tem a sua razão de ser, pois diz tanto que acaba por servir de exemplo para cada um de nós.
    E realmente a simplicidade da frase torna-a complexa...a nossa primeira tarefa neste mundo é nascer...logo depois temos de lidar com o resto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. por outro lado, também há quem esteja ocupado em morrer, e não descanse até conseguir, seja por que meios usar (e justificações).

      Eliminar
  4. Isso também é verdade Margarida. É triste que assim seja, mas é a realidade...coisa essa que cada vez mais se torna difícil de compreender.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e a realidade não se pode contar. é demasiado, tudo é demasiado. o que vê, o que se faz, em nome de quê?

      Eliminar
  5. Não sei se o que quero mesmo é renascer, ou apenas preparar-me para ela (a morte). Digamos que há letras com uma grande carga em cima delas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. entre nascer e o morrer, há um mundo. e saber viver nele.

      Eliminar